Divisórias em Eucatex ou Drywall? Divisórias X Drywall?

Espaços bem planejados e versáteis são extremamente importantes para as empresas. A divisão racional do espaço faz parte da organização e permite um melhor aproveitamento da infraestrutura corporativa, bem como contribui com a estética e a qualidade no ambiente de trabalho.

Mas qual seria o melhor material para suas divisórias? Divisória com o miolo MSO (“honey comb”) ou em drywall? Você sabe a diferença entre eles? Por que muitas empresas apostam nas divisórias? Quais as vantagens e desvantagens de cada um desses materiais?

Características do drywall

O drywall é uma placa de gesso com revestimento de papel acartonado. O forro é feito com chapas que são aparafusadas em estruturas metálicas planejadas de acordo com as necessidades de cada ambiente.

Uma das funcionalidades do uso do gesso acartonado é o ganho de espaço pelo fato de sua espessura ser mais fina que as demais divisórias.

Seu sistema de construção é a chamada “seca”, bem fácil de montar e desmontar, o que permite versatilidade na execução dos projetos, bem como a limpeza ao final do trabalho, pois apresenta poucos resíduos.

O sistema drywall é chamado de inteligente por permitir uma maior facilidade em instalações elétricas e hidráulicas.

Outras boas características do sistema drywall é o isolamento acústico e o conforto térmico, que se dá devido as propriedades das placas de gesso que contribuem para estabilizar a temperatura, que, no inverno, faz com que o ambiente fique mais quente e no verão mais frio.

Utilização de divisórias em drywall

Usar o drywall para divisórias pode ser uma boa decisão, visto que o material proporciona isolamento acústico e proteção térmica. Além disso, por ser de fácil manuseio em instalações elétricas e hidráulicas, o drywall é considerado um material inteligente, ao oferecer rapidez e praticidade nestes processos.

O aspecto negativo da utilização do drywall é a necessidade de peças específicas para colocação de armários, nichos e prateleiras na parede. Do contrário, ele poderá ser danificado.

img_20150729_110740044

Características das divisórias com o miolo MSO (“honey comb”)

As divisórias eucatex são e fácil instalação e manutenção as divisórias são indicadas para aqueles que querem dividir espaços, criar ambientes, separar setores, dentre diversas outras finalidades.
Composto de painéis, portas, perfis e peças para fixação, o sistema Divilux possibilita inúmeras combinações que se adaptam perfeitamente à necessidade de cada projeto. Além disso, permite vários tipos de modulação – em forma de X.
Os painéis e portas são fornecidos com o miolo MSO (“honey comb”), capaz de absorver impactos e distribuí-los nos vários pontos que formam as colmeias.

Modulação

Para que o projeto possa adaptar-se às modulações padrões utilizadas nos modernos edifícios comerciais, o Sistema Divilux possui dois tipos de montagem:

  • 1.205 mm, com montantes NTR – Montante Simples;

divisórias x drywall

  • 1.224 mm, com montantes N1AFA – Montante Duplo.

divisórias x drywall

Divisórias ou em drywall? Existem muitas vantagens em ambos materiais. Resta saber qual deles se adapta melhor ao estilo de sua empresa. Pese os prós e os contras na hora de escolher o ideal!

#divisórias; #drywall; #eucatex; #gesso acartonado

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

ENGMEP

http://www.engmepempreiteira.com.br

http://www.engmepforrosedivisorias.com.br

(11) 5524-3256

Paredes de drywall X alvenaria de bloco cerâmico

Em estudo, paredes internas com gesso acartonado exigiram menos mão de obra e reduziram tempo de construção em até três meses.

Para o projeto de vedação interna de um empreendimento residencial de quatro andares, o Departamento de Engenharia da Editora PINI comparou custos de duas alternativas: alvenaria de tijolos cerâmicos e paredes de gesso acartonado com lã de vidro. A primeira opção, até por ser mais tradicional, apresentou custo unitário mais baixo no estudo. Porém, para os 1.747 m² de parede do empreendimento, o drywall acabou sendo a solução mais vantajosa financeiramente, mesmo com isolamento acústico.

A diferença de preço das duas alternativas, como mostram as tabelas, decorre principalmente da redução de aproximadamente três meses no prazo total da obra ao optar pelo gesso acartonado, explica o engenheiro sênior da PINI, Anderson Correa Teixeira. Esse sistema tem prazo de execução equivalente a um quarto do tempo necessário para construção de alvenaria de tijolos cerâmicos. Como uma obra possui custo fixo elevado, qualquer redução de prazo já é significativa.

alvenaria

Alvenaria cerâmica consome mais mão de obra e envolve mais etapas de construçãodrywall

Gesso acartonado diminuiu custo final devido à redução de três meses no prazo da obra

http://www.engmepempreiteira.com.br

http://www.engmepforrosedivisorias.com.br

(11) 5524-3256

Contrapiso: Etapas da Execução e Cuidados

O contrapiso é uma camada de argamassa executada sobre uma base, que pode ser a laje de um pavimento ou um lastro de concreto, se for sobre o solo. Sua função é regularizar a superfície para receber o piso de acabamento final, além de colaborar nas funções que o piso final deverá cumprir, principalmente no aumento da resistência do conjunto contrapiso + piso. O contrapiso tem, para o acabamento do piso, função semelhante à do emboço para o acabamento da parede.

Além disso, o contrapiso é necessário nas áreas molhadas (banheiros, cozinhas,áreas de serviço) onde é preciso de caimento, ou seja, uma inclinação no nível do piso. Isso faz com que águas lançadas nos pisos desses ambientes sejam direcionadas aos ralos. Esses caimentos são dados no contrapiso e são acompanhados pelo revestimento cerâmico aplicado sobre ele. A espessura média do contrapiso é de cerca de 3 cm. Observe a imagem:execucao-contrapiso

Preparação da argamassa do contrapiso

A argamassa do contrapiso deve ser traço de 1:3, de cimento e areia média em volume e deve ser seca, com consistência de “farofa”. Para saber se a consistência está adequada, aperta-se um punhado de argamassa na mão. A argamassa deverá formar um “bolo” sem escapar pelos dedos, como mostra o desenho a seguir.

Execução do contrapiso

  • Limpeza: A base deve estar completamente limpa e lavada, devendo ser removidos todos os restos e crostas de argamassa ou concreto eventualmente existentes, usando ponteiro e marreta, se necessário.
  • Taliscamento: Fixar taliscas nos cantos do ambiente, deixando-as niveladas, com espessura entre sua superfície e a base de aproximadamente 2,5 cm no ponto mais baixo, usando para isso a mangueira ou o aparelho de nível. Em seguida, fixar as taliscas intermediárias, com distâncias entre 1,50 e 2,00 m entre elas para depois fazer as guias, de forma semelhante ao feito para o emboço.
  • Polvilhamento com Cimento: Antes de preencher as guias, polvilhar a base com cimento, na quantidade de 0,5 kg de cimento por m2.
  • Execução das Guias: Preencher com argamassa o espaço entre duas ou mais taliscas que estiverem na mesma direção, deixando as guias com o mesmo nível das taliscas. Após o preenchimento, compactar as guias com compactador de madeira.
  • Enchimento do Piso: Após a execução das guias, espalhar a argamassa na área entre duas guias e em seguida compactá-la. Após a compactação sarrafear a área com régua, deixando o piso com o mesmo nível das guias.15578475_651890161657684_976112818009342001_n
  • http://www.engmepempreiteira.com.br
  • http://www.engmepforrosedivisorias.com.br
  • (11) 5524 -3256

Para uma reforma rápida e sem dor de cabeça, invista nos pisos vinílicos

Os pisos vinílicos antigamente possuíam um aspecto não muito bonito e a qualidade do revestimento não era das melhores. Hoje em dia esse cenário mudou e os pisos vinílicos estão revolucionando o mundo da arquitetura e decoração devido a sua grande versatilidade e qualidade que apresentam. São ideias para quem deseja fazer uma mudança rápida em casa, para quem já está cansado daqueles ladrilhos antigos, ou daquele piso riscado e desgastado ou para quem quer modernizar o ambiente e a decoração sem quebra-quebra e sujeira generalizada. Hoje falamos sobre os pisos vinílicos, suas principais características e recomendações de uso.

O piso vinílico é produzido a partir de material reciclado e é composto 100% em PVC, ele é formado por placas ou mantas extremamente resistentes, flexíveis e muito macio ao tato e ao caminhar.  Funciona como isolante térmico, é antiderrapante, absorve ruídos, é resistente a riscos e dilatações e seu preço é mais em conta do que outros tipos de revestimentos. Ele pode ser aplicado em vários ambientes exceto áreas externas, pois o sol pode desbotar e danificar o material. O preço gira em torno de R$ 50 a R$ 170/m² (valor estimado) e será determinado de acordo com a loja, marca e tipo de piso escolhido, já para o valor da aplicação sugerimos consultar um profissional capacitado de sua região para uma informação mais precisa.

Esse revestimento pode ser colado diretamente no contrapiso ou sobre um piso regularizado existente. Para isso é necessário que o piso anterior esteja limpo, impermeabilizado e bem nivelado. No caso da sobreposição em pisos já existentes, os vinílicos cobrem a maioria dos revestimentos antigos, exceto carpete têxtil e cimento queimado. O uso sobre madeira também não é recomendado, pois deixa marcas. O piso vinílico é uma escolha ideal para integrar ambientes compartilhados, como a cozinha e a sala de estar, devido ao fato de poder ser utilizado também em ambientes úmidos.

piso-vinilico-1006656

Piso Laminado

Uma opção mais barata para quem busca a estética da madeira, mas não pode gastar muito, são os pisos laminados, compostos de dois tipos: acabamento em madeira e acabamento em papel decorativo, ambos prensados sobre uma base.

  • Vantagens: baixo custo, instalação rápida e simples, não necessita acabamento, fácil manutenção e limpeza.
  • Desvantagens: a durabilidade dependerá da maneira e intensidade que for usado, contato com agua e sol pode danificar o produto e costumam fazer barulho dependendo do sapato.
  • Cuidados: Pano úmido e vassoura de cerdas macias.pisos-frios-1126475